terça-feira, 25 de junho de 2019

Eu amo tudo o que foi...



Eu amo tudo o que foi
 Tudo o que já não é
 A dor que já não me dói
 A antiga e errónea fé
 O ontem que a dor deixou
 O que deixou alegria
 Só porque foi, e voou
 E hoje é já outro dia

 Fernando Pessoa

terça-feira, 11 de junho de 2019

A diferença !


Quero dizer-vos a diferença entre o lobo e o homem:
 nenhuma, excepto uma, na velhice...
o lobo entra nos bosques para esperar o seu fim sozinho:
 o homem, quanto mais sente que a morte se aproxima
 mais busca companhia mesmo se ele se aborrece
 e se ela o aborrece.

 Riccardo Bacchelli

quinta-feira, 9 de maio de 2019

A lenda da verdade e mentira


Reza uma lenda do Séc. XIX que um dia a Verdade e a Mentira encontraram-se. Diz a Mentira à Verdade: “Está um dia tão bonito”. E estava de facto um dia muito bonito. Passam algum tempo juntas até que chegam junto de um poço. ” A água está tão agradável, porque não tomamos um banho as duas?” sugere a Mentira. A Verdade, embora reticente, lá toca na água e a água estava realmente agradável. Despem-se então e banham-se. De repente a Mentira sai da água, veste as roupas da Verdade e foge. A Verdade salta do poço e corre todos os lugares para encontrar a Mentira e recuperar as suas vestes. O Mundo, vendo-se confrontado com a nudez da Verdade, revira os olhos, entre o desprezo e a raiva. A Verdade volta então ao poço onde desaparece para sempre, escondendo a sua vergonha. Desde então a Mentira tem percorrido o Mundo com as roupas da Verdade, satisfazendo os caprichos das pessoas e das sociedades, e o Mundo, esse, continua a recusar-se a encarar a Verdade nua................. Autor desconhecido.

quarta-feira, 1 de maio de 2019

MULHERES À BEIRA-MAR


MULHERES À BEIRA-MAR
 Confundido os seus cabelos com os cabelos do vento
 têm o corpo feliz de ser tão seu e tão denso em plena liberdade.
 Lançam os braços pela praia fora e a brancura dos seus pulsos penetra nas espumas.
 Passam aves de asas agudas e a curva dos seus olhos prolonga o interminável rastro no céu branco. Com a boca colada ao horizonte aspiram longa- mente a virgindade de um mundo que nasceu.
O extremo dos seus dedos toca o cimo de delícia e vertigem onde o ar acaba e começa.
E aos seus ombros cola-se uma alga, feliz de ser tão verde.

 Sophia de Mello Breyner Andresen | "Antologia",

quinta-feira, 18 de abril de 2019

A lenda da cotovia ...


Lenda da Cotovia
 Uma linda cotovia
 Libertina e mariola
 Conta a lenda, certo dia
 Foi presa numa gaiola.
 E a linda cotovia
 Costumada a vadiar
 Cantou de noite e de dia
 Pois não sabia chorar.
 E à voz da passarada
 Que, de vago, ao longe ouvia
 Respondia em desgarrada
 A todos entristecia.
 À quarta noite passada
 Já risonho o sol nascia
 Morreu de dor e cansada
 Essa linda cotovia.
 Onde ela foi enterrada
 Um cravo negro vingou
 Depois disso a passarada
 Nunca mais ali cantou.
 Diz a lenda, ao terminar
 Que certas noites se ouvia
 Ao longe, triste, a cantar
 Uma linda cotovia.

 Manuel de Andrade

segunda-feira, 1 de abril de 2019

Noite..


 Ó noite onde as estrelas mentem luz
 ó noite, única coisa do tamanho do universo
 torna-me, corpo e alma, parte do teu corpo
que eu me perca em ser mera treva
 e me torne noite também
 sem sonhos que sejam estrelas em mim
 nem sol esperado que ilumine do futuro.

 Fernando Pessoa

domingo, 17 de março de 2019

Somos matéria de sonhos.


Somos matéria de sonhos
 Pó de estrelas que ficou na alma
 Quando a respiração da vida
 Nos soprou dentro da essência do universo...

sexta-feira, 1 de março de 2019

Fado da saudade

Desespero


Não eram meus os olhos que te olharam
 Nem este corpo exausto que despi
 Nem os lábios sedentos que poisaram
 No mais secreto do que existe em ti.
 Não eram meus os dedos que tocaram
 Tua falsa beleza, em que não vi
 Mais que os vícios que um dia me geraram
 E me perseguem desde que nasci.
 Não fui eu que te quis.
 E não sou eu
 Que hoje te aspiro e embalo e gemo e canto,
 Possesso desta raiva que me deu
 A grande solidão que de ti espero.
 A voz com que te chamo é o desencanto
 E o esperma que te dou, o desespero.

 Ary dos Santos, in 'Liturgia do Sangue'

domingo, 17 de fevereiro de 2019

Mensagem de BUDA ...




" Buda disse;
 Domine suas palavras, domine seus pensamentos, não magoe ninguém
 Siga fielmente essas orientações e avance no caminho dos sábios

 A maior vitória que se conquista é sobre si mesmo.
 Para isso, é preciso controlar a própria mente.
Você deve controlar seus pensamentos
 eles não devem ir e vir, como ondas no mar.
 Talvez acredite que é incapaz de fazer isso.
Mas há uma resposta para isso:
 você não pode proibir uma ave de voar sobre você
 mas certamente pode evitar que ela faça um ninho na sua cabeça.


sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019


Amor é fogo que arde sem se ver;
 É ferida que dói, e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer.
 É um não querer mais que bem querer;
É um andar solitário entre a gente
 É nunca contentar-se de contente;
É um cuidar que se ganha em se perder.
 É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata, lealdade.
 Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?

 Luís de Camões