quarta-feira, 19 de abril de 2017

O Homem e a Mulher


O homem é a mais elevada das criaturas.
 A mulher, o mais sublime dos ideais.
 Deus fez para o homem um trono; para a mulher fez um altar.
 O trono exalta e o altar santifica.
 O homem é o cérebro; a mulher, o coração.
 O cérebro produz a luz; o coração produz amor.
 A luz fecunda; o amor ressuscita.
 O homem é o génio; a mulher é o anjo.
O génio é imensurável; o anjo é indefenível;
 A aspiração do homem é a suprema glória;
 a aspiração da mulher é a virtude extrema;
A glória promove a grandeza, e a virtude, a divindade.
 O homem tem a supremacia; a mulher, a preferência.
 A supremacia significa a força; a preferência representa o direito.
 O homem é forte pela razão; a mulher, invencível pelas lágrimas.
 A razão convence e as lágrimas comovem.
 O homem é capaz de todos os heroísmos;
 a mulher, de todos os martírios.
 O heroísmo enobrece e o martírio purifica.
 O homem é a águia que voa; a mulher, o rouxinol que canta
 Voar é dominar o espaço e cantar é conquistar a alma
 Enfim, o homem está colocado onde termina a terra;
 a mulher, onde começa o céu.

 Victor Hugo
.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Lenda e mistério...

 Diz a lenda que muitos e muitos anos atrás
Um casal que se amava contra a vontade dos pais
Se encontravam escondidos na escuridão
Eram guiados pela força da paixão
Era o amor vencendo o medo
 A sete chaves em seu coração
 Deus ouvindo as preces daquele jovem casal
 Lhe mandou o mais lindo sinal
E nesse instante uma luz iluminou o céu
E ele prometeu olhando em seus olhos de mel
O mundo inteiro vai saber que foi
O nosso amor que fez nascer
A lua cheia no céu
Para iluminar quem quiser amar
Lendas e mistérios de um amor ete
Que nem mesmo o tempo foi capaz de apagar
Foi assim que aconteceu
 Um amor que não morreu



Autor do texto
desconhecido

domingo, 9 de abril de 2017

Nossa escolha...


Nossas escolhas não podem ser apenas intuitivas
elas têm que reflectir o que a gente é.
Lógico que se deve reavaliar decisões
e trocar de caminho: ninguém é o mesmo para sempre.
Mas que essas mudanças de rota venham para acrescentar
e não para anular a vivência do caminho
anteriormente percorrido.
A estrada é longa e o tempo é curto
Não deixe de fazer nada que queira
mas tenha responsabilidade e maturidade
para arcar com as consequências destas acções
Lembrem-se: suas escolhas têm
50% de chance de darem certo
mas também 50% de chance de darem errado
 A escolha é sua...

Pedro Bial

foto- Maria Dilar

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Pense positivo...


"Tire do coração o medo
 não dê lugar aos sentimentos que lhe roubam a paz.
 Pense positivo, sonhe alto
 tenha fé, seja grande de coração e seja grato.
No caminhar da vida nem sempre o caminho será fácil
 mas mesmo em meio
as pedras, Deus nos dará sapatos adequados."

 __ Yla Fernandes

domingo, 2 de abril de 2017

José Manuel Neto - Guitarrada


A guitarra portuguesa é um instrumento muito difundido em Portugal
sendo o que mais se aproxima do sentimento Lusitano do povo português.
A guitarra portuguesa tem um timbre de tal modo inconfundível
que, onde quer que esteja, qualquer português a reconhece aos primeiros acordes.
É um instrumento musical carregado de simbolismo
e, à mercê da sua longa aliança com o Fado
é conotado com o "modo de ser" português.
Destino, fado e saudade são palavras que naturalmente
se associam ao trinado da guitarra portuguesa.
"Para interpretar o Fado, nenhum instrumento mais de jeito que a guitarra.
 Está costumada a cantar tristezas desde a mais remota antiguidade
 e além disso fala tão baixinho que não chega a incomodar
 os grandes, os felizes, os opulentes.
 quase uma criança que chora ou uma mulher que suspira.
 Impressiona e não atordoa. Faz-se ouvir, mas não se impõe
" - citação de Alberto Pimentel, em Photographias de Lisboa, pág.64.
 De origem bastante remota, foi outrora designada por guitarra mourisca
 por ter certa semelhança com o alaúde,
 que os árabes introduziram na Península Ibérica
sendo, no entanto, as características dos dois instrumentos algo distintas.
 As origens da guitarra portuguesa remontam à Idade Média
 a um instrumento chamado cítula.
Esta evoluiu ao longo dos tempos, passando pela cítara
culminando na guitarra portuguesa
Começando por ser instrumento habitual nos salões da alta burguesia
 sobreviveu e transformou-se nas mãos do povo,
para se tornar, actualmente, num instrumento popular.

texto- google





sexta-feira, 31 de março de 2017

Reflexão...


Sou uma mulher madura
Que às vezes anda de balanço
Sou uma criança insegura
Que às vezes usa salto alto
Sou uma mulher que balança
Sou uma criança que atura

Martha Medeiros

domingo, 26 de março de 2017

O relógio do tempo...


Há tempos em nossa vida que contam de forma diferente. Há semanas que duraram anos, como há anos que não contaram um dia. Há paixões que foram eternas, como há amigos que passaram céleres, apesar do calendário nos mostrar que ficaram por anos em nossas agendas. Há amores não realizados que deixaram olhares de meses, e beijos não dados que até hoje esperam o desfecho. Há trabalhos que nos tomaram décadas de nosso tempo na Terra, mas que nossa memória insiste em contá-los como semanas. E há casamentos que, ao olhar para trás, mal preenchem os feriados da folhinha. Há tristezas que nos paralisaram por meses, mas que hoje, passados os dias difíceis, mal guardamos lembrança de horas. Há eventos que marcaram, e que duram para sempre o nascimento do filho, a morte da avó, a viagem inesquecível, o êxtase do sonho realizado. Estes têm a duração que nos ensina o significado da palavra “eternidade”. Já viajei para a mesma cidade uma centena de vezes, e na maioria das vezes o tempo transcorrido foi o mesmo. Mas conforme meu espírito, houve viagem que não teve fim até hoje, como há percurso que nem me lembro de ter feito, tão feliz estava eu na ocasião. O relógio do coração hoje descubro, bate noutra frequência daquele que carrego no pulso. Marca um tempo diferente, de emoções que perduram e que mostram o verdadeiro tempo da gente. Por este relógio, velhice é coisa de quem não conseguiu esticar o tempo que temos no mundo. É olhar as rugas e não perceber a maturidade. É pensar antes naquilo que não foi feito, ao invés de se alegrar e sorrir com as lembranças do que viveu. Pense nisso. E consulte sempre o relógio do coração: ele lhe mostrará o verdadeiro tempo do mundo. O tempo A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. Quando se vê, já são seis horas! Quando de vê, já é sexta-feira! Quando se vê, já é natal... Quando se vê, já terminou o ano... Quando se vê perdemos o amor da nossa vida. Quando se vê passaram 50 anos! Agora é tarde demais para ser reprovado... Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio. Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas... Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo... E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo. Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz. A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Mário Quintana
Art by Paulo Barrios

quarta-feira, 22 de março de 2017

PRIMAVERA!


Sinto uma alegria enorme
Ao pensar que a minha morte não tem importância nenhuma
Se soubesse que amanhã morria
E a Primavera era depois de amanhã
Morreria contente, porque ela era depois de amanhã
Se esse é o seu tempo, quando havia ela de vir senão no seu tempo?
Gosto que tudo seja real e que tudo esteja certo
E gosto porque assim seria, mesmo que eu não gostasse Por isso, se morrer agora, morro contente, Porque tudo é real e tudo está certo.
Podem rezar latim sobre o meu caixão, se quiserem
Se quiserem, podem dançar e cantar à roda dele.
Não tenho preferências para quando já não puder ter preferências
O que for, quando for, é que será o que é.

 (Poemas Inconjuntos, heterónimo de Fernando Pessoa) Alberto Caeiro


Imagem  (google)

domingo, 19 de março de 2017

Não sou uma deusa...


Não sou uma deusa da beleza,
 não tenho um corpo perfeito
 mas tenho algo que encanta
 algo que flui natural
 e confesso que me transborda de orgulho
 ser a musa inspiradora de um homem muito especial

. Gardenia by Gardenia
 art by Mario Dilitz

sábado, 18 de março de 2017

Janelas do meu quarto.


Janelas do meu quarto,
Do meu quarto de um dos milhões do mundo. que ninguém sabe quem é
 ( E se soubessem quem é, o que saberiam?),
 Dais para o mistério de uma rua cruzada constantemente por gente,
 Para uma rua inacessível a todos os pensamentos,
 Real, impossivelmente real, certa, desconhecidamente certa
 Com o mistério das coisas por baixo das pedras e dos seres,
 Com a morte a por umidade nas paredes e cabelos brancos nos homens,
 Com o Destino a conduzir a carroça de tudo pela estrada de nada.
 Estou hoje vencido, como se soubesse a verdade.
 Estou hoje lúcido, como se estivesse para morrer
 E não tivesse mais irmandade com as coisas
Senão uma despedida, tornando-se esta casa e este lado da rua
 A fileira de carruagens de um comboio, e uma partida apitada
De dentro da minha cabeça,
E uma sacudidela dos meus nervos e um ranger de ossos na ida.
Estou hoje perplexo, como quem pensou e achou e esqueceu.
Estou hoje dividido entre a lealdade que devo
À Tabacaria do outro lado da rua, como coisa real por fora,
E à sensação de que tudo é sonho, como coisa real por dentro.
 Falhei em tudo.
 Como não fiz propósito nenhum, talvez tudo fosse nada.
 A aprendizagem que me deram
 Desci dela pela janela das traseiras da casa.

 (Trecho de Tabacaria, de Fernando Pessoa)

quinta-feira, 16 de março de 2017

SEM RAZÃO - Maria Dilar


Não acredite em algo simplesmente porque ouviu.
 Não acredite em algo simplesmente porque todos falam a respeito.
 Não acredite em algo simplesmente porque está escrito em seus livros religiosos.
 Não acredite em algo só porque seus professores e mestres dizem que é verdade.
 Não acredite em tradições só porque foram passadas de geração em geração.
 Mas depois de muita análise e observação,

 se você vê que algo concorda com a razão
 e que conduz ao bem e beneficio de todos, aceite-o e viva-o.

 Buda

segunda-feira, 13 de março de 2017

Sou toda FÉ...


"Minhas costas aguentam o peso que levo
 porque o coração está cheio de gratidão.
 Meus pés caminham, mesmo doloridos
 porque acreditam no caminho que escolheram.
Não há como desistir, embora a vontade venha

 quando a certeza de que tudo valerá a pena
 está em cada partícula de nós.
 Sou toda esperança
 Sou feita de fé."

 Rachel Carvalho

domingo, 12 de março de 2017

A face; espelho...


A face é um espelho dos seus sentimentos internos
 É o órgão do corpo mais observado e notado.
O estado da sua consciência é claramente visível nela
 A face reflectirá e espalhará a fragrância da beleza interior
quando é preenchida de pureza e felicidade.
Quando você entra em contacto com os outros
eles lêem e recebem muitas coisas através dos seus olhos
e de sua expressão facial positiva.
Imediatamente isso fica impresso na mente deles.
 Depois - através de acções, gestos e palavras
 eles expressam isso para você."

 Brahma Kumaris